Buscar

COLUNA WELINTON ANDRADE

Livro do jornalista Paulo Mota tem Santa Bakhita como personagem

“Estive na lama e não me sujei: os livros de Santa Bakhita” é o novo livro do escritor e jornalista Paulo Mota, lançado pela editora Autografia, do Rio de Janeiro. “É diferente de tudo que publiquei até agora. Primeiro, porque é um romance e meus livros anteriores são de contos. Depois, pelo tema”, explica Mota.

Josefina Bakhita (1869-1947) é uma das mais populares santas da Igreja Católica, com milhões de fiéis em todo o mundo, principalmente nos países pobres. Durante toda a infância e juventude, viveu como escrava no Sudão (África), onde nasceu. Libertada, ainda jovem, na Itália, para onde foi levada pelos patrões, tornou-se freira e viveu por 50 anos em um convento na região de Schio, conquistando fama de santidade. Foi canonizada pelo Vaticano em 2000.

O milagre a ela atribuído, que levou à sua santificação, ocorreu em 1992, na catedral de Santos. É considerada patrona das lutas contra o preconceito racial e a escravidão. Seu dia é 8 de fevereiro.

“Dezenas de livros e um filme contaram a vida de Bakhita. Mas todos eles dedicaram pouco espaço às circunstâncias, locais e personagens do milagre que levou à sua santificação, os quais dão a Santos e ao Brasil destaque especial em sua história. Este livro fala bastante dessas pessoas e dos bairros de Santos e o povo da Baixada. Entra em detalhes sobre o milagre na catedral santista, como ele ocorreu e a gente nele envolvida”, revela Paulo Mota.

Devido à Covid-19, não haverá um lançamento formal, com sessão de autógrafos. Os interessados em obter o exemplar com dedicatória podem entrar em contato com o autor pelo telefone (13) 98146.6646. O livro pode ser adquirido também na loja on-line da editora pelo endereço https://bit.ly/3t6ofyr.


Professor Nelson recebe homenagem por 37 anos dedicados à educação municipal

A Secretaria de Educação (Seduc) de Guarujá prestou homenagem ao professor, agora aposentado, Nelson Harder, exatamente no dia do seu aniversário. Formado em História, dos seus 80 anos, 37 foram inteiramente dedicados à rede municipal de ensino. Teve passagens por diversas unidades escolares, a última delas foi a Escola Municipal Maria Aparecida de Araújo, no bairro Morrinhos.

“Já completei minha jornada e desejo sucesso à educação de Guarujá”. O professor foi recepcionado pelo secretário de Educação, Marcelo Nicolau. “É um orgulho imenso e obrigado por todo seu empenho e disposição em contribuir com a educação do nosso Município”, agradeceu.