top of page
Buscar

SANTOS PESQUISA MICROLIXO NAS PRAIAS



A Secretaria de Meio Ambiente de Santos está promovendo uma pesquisa para identificar as fontes de resíduos marinhos que atingem o Município. A quarta e última etapa do trabalho verificou mais de 60 tipos diferentes de resíduos e a diminuição de bitucas de cigarro e canudos provenientes de frequentadores, entre moradores, turistas e ambulantes, que representavam mais de 40% dos resíduos da praia.

O estudo, que vai permitir o aprimoramento das políticas públicas e a otimização da destinação de recursos, integra convênio assinado em 2018 entre a Secretaria, a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) e a Agência de Proteção Ambiental da Suécia, e conta também com a participação da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), campus Baixada Santista.

Conforme a Secretaria de Meio Ambiente são três fontes geradoras de resíduos: o frequentador (moradores, turistas e ambulantes), a fonte difusa (canais e navios) e comunidades que descartam os resíduos que acabam sendo trazidos pelo canal do estuário.

Iniciado em março, o trabalho foi realizado em trecho previamente delimitado - área de 15x45m na areia fofa e de 15x60m na areia úmida. Foram duas coletas com maré baixa e duas com maré alta. A coleta do microlixo foi manual e todo o material, entre bitucas, pedaços de plástico, tampas de garrafas e lacres de refrigerante, foi levado à Semam para triagem e análise.

Todos os dados das quatro etapas serão inseridos na planilha de monitoramento do Programa Nacional de Combate ao Lixo no Mar, lançado em Santos pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) em 21 de março de 2019.



Comments


bottom of page