Buscar

POLICIA FEDERAL PRENDE EX-DEPUTADO MARCELO SQUASSONI

CONFIRA LISTA COM NOMES DE OUTROS 18 PRESOS

Foram presos pela Polícia Federal:

  • MARCELO SQUASSONI - ex-deputado federal e ex-vereador de Guarujá

  • JOSÉ FRANCISCO ADRIANO - ex-diretor Diretor de Finanças da Codesp

  • CARLOS HENRIQUE POÇO - ex- diretor de Operações Logísticas

  • JULIANA DE PAULA LOURO STORTI - servidora em Ilhabela

  • FABIANA GILHO ALVES DE ALMEIDA

  • ÂNGELA POLETINI DA FONSECA

  • MARLON RAMOS FIGUEIREDO - ex-diretor da Guarda Portuária em Santos

  • JOÃO FERNANDO CAVALCANTE GOMES DA SILVA

  • ÁLVARO LUIZ DIAS DE OLIVEIRA

  • HÉLIO MARQUES DE AZEVEDO - funcionário de carreira da Guarda Portuária

  • JOSÉ JULIO PIÑERO LABRAÑA

  • JULIO CESAR DE PAULA COSTA PIÑERO LABRAÑA

  • SÉRGIO PEDRO GAMMARO JUNIOR

  • SIMONE QUESSADA DE LIMA RIBEIRO

  • TAWAN RANNY SANCHES EUSEBIO FERREIRA

  • ALVARO CLEMENTE DE SOUSA NETO

  • CRISTIANO ANTÔNIO CHEHIN

  • DANIEL PEREIRA DA SILVA

  • GABRIEL NOGUEIRA EUFRÁSIO - ex- diretor jurídico da Codesp, já foi preso na primeira fase da Operação Tritão

A segunda etapa da operação, denominada Círculo Vicioso, foi deflagrada com o aprofundamento das investigações e com a delação de um dos presos na fase inicial. Foram identificados mais dois contratos, que juntos passam de R$ 100 milhões, com indícios de fraude: um de segurança do porto e outro de fiscalização por drone.

Os mandados são de prisão temporária, válidos por cinco dias. São cumpridos nove em Santos e dois em Guarujá, na Baixada Santista, e outro em Ilhabela. Os demais são em Bragança Paulista e Serra Negra, no interior paulista, em Duque de Caxias (RJ) e em Fortaleza (CE). Há mandados de busca e apreensão para todos os endereços dos alvos.

PF prende ex-deputado e mais 18 em operação sobre fraudes no Porto de Santos

Ex-deputado Marcelo Squassoni é o principal alvo da segunda fase da Operação Tritão, que mira também ex-diretores da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) e empresários. Novos desvios foram identificados em contratos de R$ 100 milhões. O G1 tenta contato com a defesa dos investigados.

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta quinta-feira (22), o ex-deputado federal Marcelo Squassoni (PRB-SP), além de ex-integrantes da cúpula da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) e empresários, em uma investigação sobre supostas fraudes em licitações e contratos na estatal. A ação é a segunda fase da Operação Tritão.

São 21 mandados de prisão e 24 de busca e apreensão em cumprimento com autorização da 5ª Vara Federal de Santos. Até as 9h30, 19 pessoas tinham sido presas, e duas estavam foragidas - inicialmente as equipes da operação contabilizaram 20 presos, e retificaram a informação às 9h50. O G1 tenta contato com a defesa dos investigados.

O principal investigado é Squassoni, suspeito de ser um dos articuladores do esquema na Codesp e que, segundo o Ministério Público Federal, recebeu R$ 1,6 milhão em propina. Ele não foi localizado em sua casa em Guarujá pela manhã, mas o local também foi alvo de buscas. O G1 apurou que o político estava na capital paulista se apresentou à PF às 9h30.

A fase inicial da Tritão ocorreu em outubro de 2018, quando o então presidente, dois diretores e um servidor da Codesp, além de três empresários, foram presos por suspeita de corrupção, fraude em licitações e peculato (apropriação de recursos públicos). Na ocasião, três contratos ilícitos firmados com a estatal foram identificados. Todos os investigados foram soltos posteriormente.- gonte G1

Endereço: Av. Adhemar de Barros, 1.347

Sala 27 B - CEP 11.430.003

Telefone: (13) 99716-5052

Email: jornaldacidadelitoral@gmail.com

contato Comercial