Buscar

BASTIDOR POLÍTICO 23 DE DEZEMBRO


BASTIDOR POLÍTICO

Incomodados

“Não dá para negar. Não ficou bem politicamente e na cidade o nome do ex-secretário e candidato da ex-prefeita Antonieta de Brito, Adilson de Jesus, para a secretaria de Obras e Ifraestrutura”. A fala é de um membro do alto escalão do atual governo. Outros, em particular, também descascaram Adilson.

Rejeição de Antonieta

Perguntas que se ouvem nas ruas: “Se o Adilson, que ocupou três secretarias no governo Antonieta, não resolveu o problema da cidade nos cerca de quatro anos que ficou lá, como vai resolver agora? Se tivesse resolvido, teria perdido a eleição? Foi aquele que ajudou a ex-prefeita a afundar a cidade?”.

As ruas falam

As ruas também dizem que “A atual administração não é ruim, o prefeito é trabalhador, não é político, e é melhor que a ex-prefeita. Ele caiu numa arapuca”. A nomeação causou indigestão dentro e fora da PMG. Essa é a realidade, mas ninguém fala ao prefeito.

Comemoração

Quem teria comemorado a nomeação de Adilson para a administração foi o ex-prefeito Farid (Haifa) Madi, do PPS. Na cidade, o ex-prefeito tem dito que, agora, o casal é a única oposição de verdade à gestão da ex-prefeita Antonieta, que acabou com a cidade.

Saiu do cargo

A ex-deputada Haifa Madi, do PPS, deixou o cargo que tinha no Ministério da Cultura em São Paulo. Alegou querer ficar mais perto da família, netos etc. Mas também ficará mais próxima do eleitorado que lhe deu mais de 70 mil votos na eleição passada.

Capitão Ipiranga

A atuação do secretário Capitão Venâncio à frente da Defesa Social e na PMG tem sido reconhecida até por quem não gosta dele. É de confiança do prefeito Suman e “Posto Ipiranga” do governo. Deu problema em qualquer setor da PMG: “Vai no Capitão Venâncio”.

Acertaram...

O prefeito Válter Suman e o secretário de Educação, vice-prefeito Renato Pietropaolo, ambos do PSB, ao ampliarem o número de vagas em creches da cidade. Após a polêmica, todos sobreviveram.

O deputado...

Estadual Caio França, do PSB, deve se reeleger sem grandes problemas. Seu pai, vice-governador Marcio França, deve assumir o governo do Estado com a candidatura de Alckmin à presidência.

Em Guarujá...

O prefeito Válter Suman, do PSB, e o presidente local do partido, o chefe de gabinete da PMG Fabrício Henrique, devem conseguir boa votação para Caio.

Na verdade...

Com a estrutura política que possui, se souber usar, o prefeito pode ajudar o deputado Caio, outros deputados que também tenham ajudado a cidade, além do seu candidato (federal e estadual). Se o governo se reorganizar, dá para eleger dois da cidade.

Conta errada?

Informações de bastidor apontam que o deputado federal Marcelo Squassoni, do PRB, pode estar fazendo conta errada. Ele estaria contando com os votos da reeleição de Russomano federal (mas ele pode virar vice de alguém) e não põe na ponta do lápis que a Universal quer eleger mais bispos deputados. Reeleição com 25 mil votos será difícil.

Queimado em Guarujá

Na visão de analistas políticos, o deputado Squassoni estaria queimado no seu principal reduto eleitoral, Guarujá. Os motivos seriam as promessas não cumpridas, entre elas Hospital público, e ausência da cidade por longo período. Esses fatores sim podem entrar na conta do eleitor na hora do voto.

Revelação

O ano de 2017 termina com o Fundo Social da cidade surpreendendo positivamente. Voltou a funcionar com a primeira-dama Edna Suman à frente. Doou alimentos, realizou eventos filantrópicos, criou cursos profissionalizantes e até encaixou vagas de emprego.

Pietropaolo prefeito

Na recente ausência do prefeito Válter Suman, o vice Renato Pietropaolo assumiu o comando da cidade, como manda a lei e de forma discreta. Na verdade pouca gente ficou sabendo da troca de comando. O entrosamento entre prefeito e vice segue sem problemas.

Repercutiu bem...

A informação publicada na manchete da semana passada do JC dando conta que Santas Casas e HSA, mesmo devendo para a União, poderão se beneficiar de verbas federais. O presidente do HSA, Urbano Bahamonde, agradeceu o apoio do deputado federal João Papa, do PMDB, que conseguiu audiência com o senador José Serra, do PSDB, autor da lei.

Equilibrista

O presidente da Câmara Edilson Dias, do PT, após um início de gestão tumultuada, conseguiu o que parecia impossível: o equilíbrio político. No ano que termina, ele ficou de bem com os vereadores, sem brigar com o prefeito Suman.

Ganhou prêmio

E, de quebra, a gestão de Edilson à frente da Câmara foi premiada pela USP, Voto Consciente e OAB. Quer mais? Se eleger deputado, se possível.

“Casa de caboclo”

Diz a lenda que uma “crocodilagem” foi preparada para pegar um influente nomeado de um órgão público. A intenção era atingir um governo. Entretanto, nada como fazer o bem sem olhar a quem. Ele foi avisado, não sabe nem por quem, e a “casa não caiu”. Melhor não buscar água na fonte.

Endereço: Av. Adhemar de Barros, 1.347

Sala 27 B - CEP 11.430.003

Telefone: (13) 99716-5052

Email: jornaldacidadelitoral@gmail.com

contato Comercial